TOP

Series Que Marcaram Época #1 "Troopers Transformar"







Nome original: Vr Troopers
Produção: Saban- Toei company
Episódios: 52 (primeira temporada) 40 (segunda temporada
Criação: Haim Saban & Shuki Levy (Baseado nas séries: Sho Jinki 
Exibição no Brasil: Fox – Globo – Fox Kids
Distribuição: Fox Films – Saban International – Buena Vista







Historia.

O retorno financeiro que os Power Rangers trouxeram para Toei Company e a produtora Saban Entertaiment fez com que os japas dessem carta branca para os dois maiores pesares da história do tokusatsu no ocidente: a monopolização de todas as produções da Toei Company do gênero sentai por parte da Saban, e a autorização pra empresa criar uma das séries mais “inusitadas” da história da tevê e do gênero dos seriados nipo-americanos: V.R. Troopers. Só perde pro Masked Rider e seu ornintorrinco de estimação 


 V.R Troopers foi a evolução do frustrado sonho de Haim Saban de lançar Metalder nos EUA. No final dos anos 80, o empresário tinha oferecido o seriado para emissoras da terra do tio sam, mas todas recusaram o produto. Em 1993, Saban resolveu adaptar Metalder da mesma forma que fizeram com Zyu Ranger e desse “esforço” (sei) saiu o pavoroso Cybertron. A idéia básica, era por um herói (o ator Jason Frank, que se consagraria pouco tempo depois como o eterno Tomy de Power Rangers) encarando o exército de Grimlord (Neroz em Metalder). Só que o piloto também foi rejeitado e o persistente tiozinho resolveu cagar o cérebro pra repensar no roteiro de um novo enlatado. 




Aproveitando a modinha da idéia de uma “realidade virtual” que se alastrava na mídia por meio de filmes e série, Saban recauchutou seu “Cybertron” e transformou-o em V.R. Troopers. A série deu o ar de sua graça na tevê americana em 03 de setembro de 1994 e viajando muuuuuito, Saban conseguiu fazer algo inimaginável: reunir duas séries japonesas diferentes em um mesmo universo. Além de Metalder, a outra vítima da picaretagem foi o pobre do Spielvan. Com V.R Troopers, Saban via seu sonho de trabalhar com Metalder no ocidente concretizado. Mas, talvez, nem ele imaginava que teria que descaracterizar tanto a série…

Seguindo o mesmo formato de produção dos Power Rangers (edição de cenas dos seriados originais japas, com tomadas feitas em alguma cidadezinha americana com atores gringos de quinta categoria :P), os Troopers não conseguiram o mesmo êxito que os Power Rangers. Mesmo assim, emplacaram duas temporadas, e conseguiram destruir outro seriado metal hero: Shaider. Subitamente, o show foi cancelado sem sequer ter tido um final realizado. Sorte né? Já pensou se pegam o Jaspion pra transformar em um Trooper?   






Sinopse.

"Os transformadores"




Tyller Stell é um cientista que descobriu acesso para um novo mundo: o da realidade virtual. Entretanto, durante suas pesquisas, o moço é capturado por um terrível ser: Grimlord. Escondendo-se sobre a alcunha do empresário multimilionário Karl Ziktor, Grimlord quer ser o soberano de ambas as realidades (ahn?) e não medirá esforços para isso. Organizando seu exército virtual (que se materializa em nosso mundo com uma imensa facilidade) durante anos, Grimlord sabe que o único que pode impedir seus planos é o professor Hart (um misto de padre, com Zordon e… Tio Barnabé do Sítio do Pica-pau Amarelo +_+), que por razões não explicadas, vive dentro de um computador, com um fundo daqueles efeitos do Windows Media Player quando toca música  




Diante da ameaça inevitável, Hart faz com que o carrinho vermelho do jovem Ryan Stell, que estava na companhia de seus dois amigos Kaitilin Star e J.B Reese, vá até o portal virtual psicodélico no meio de um deserto na cidadezinha de Crossword. Ao atravessá-lo, os 3 se vêem diante de um super laboratório e conhecem o profesor Hart que lhes explica a situação e os faz usar uns visores bem ridículos pra ver ceninhas de Spielvan e Metalder (a interpretação canastra dos atores era tudo *_*). Ryan descobre que seu pai – desaparecido desde que ele era um pivetinho – pode estar nos domínios virtuais de Grimlord e isso lhe motiva a encarar a missão que terá pela frente. Ao pegarem uns pingentezinhos cafonas – os virtua-lasers – e falarem “Troopers Transformar: Somos Realidade Virtual” os três se convertem em… Heróis japoneses transgênicos!!! 


















Fora da rotina de super-heróis, os três amigos são praticantes de karatê no Dojo do Tao. Tao é amigo de Tyller Stell e cuidou e treinou o pequeno Ryan. Sábio e meio macumbeiro, o mestre tenta dar uma de senhor Myagi na série – mas lhe falta um bocado de carisma. A gatinha Kaitilin trabalha no jornaleco da cidade (o “A Voz do Subsolo”… Quem diabos leria um jornal com um nome desses? @_@), onde os personagens patetas da história dão as caras: seu chefe biruta Rudy e o convencido nerd Percy – que é sobrinho do prefeito da cidade. Mas roubando a cena, está o cão Jeb. Tendo a estranha capacidade de falar (e como a usa!   


A edição de cenas às vezes deixava escapar muitas coisas das séries originais japas – o que provocava dores de barriga no público brasileiro que conferiu ambas produções que foram recicladas. A mancada mais grotesca foi numa cena em que Kaitilin reenergiza JB. Na cena original, aparece o semblante de Spielvan e Diana crianças, com seus cabelos lisinhos tipicamente asiáticos. Em algumas cenas, notava-se também a presença de duas Kaitilins! E isso antes de inventarem a tal “equipe dupla” (desculpa que só aparece no 2° ano).

Grimlord



















O Sucesso no brasil.



Professor Hart
Com o sucesso dos Power Rangers na Globo (numa época em que os canais pagos não tinham muita expressividade como hoje em dia), a nova picaretagem da Saban foi traga pela Fox, que a lançou no 2° semestre de 95 em sua programação. No mesmo semestre, só que bem no finalzinho do ano, os V.R. Troopers deram as caras na Tv Colosso – que abreviou o nome apenas para “Troopers”. Logo de cara o programa chamou atenção. Afinal, não fazia muito tempo que os tokusatsus originais que foram reciclados na série estavam sendo exibidos na tevê brasileira. O choque e a reação dos tokufãs na época foi terrível. Mesmo falando muito mal dos Troopers (e com a Herói já tendo ensinado como aquela picaretagem era possível de existir), o povo assistia sob uma desculpinha básica: rever os pedaços originais das séries japonesas! 

Jeeb o cachorro falante.

Tao


















Diversos produtos foram lançados no mercado brasileiro. Chicletes, albúm de figurinhas, cuecas, fitas vhs com episódios e… Bonequinhos! Importados pela Estrela, a exibição de Troopers ajudou os tokufãs brasileiros a ter a oportunidade de poder comprar bunequinhos descentes do Spielvan e da Lady Diana – bem diferentes dos toscos lançados pela Glasslite… O Spielvan era o Jaspion que era o Robocop! A Diana nem foi lançada! Os bonecos do Metalder e do Shaider, que nunca sairam por aqui quando as séries foram exibidas, vieram graças aos Troopers! Hehehe… Pelo menos prestaram pra isso né? Teve também a revista em quadrinhos oficial dos heróis, lançada nos EUA pela Marvel Comics, onde dividiam as páginas com os Power Rangers Ninja (3° ano da série). Não passou de duas edições por aqui e chegou a oito nos EUA. Não podemos nos esquecer do joguinho pra Mega Drive que fazia a alegria da mulecada na época.

A dublagem ficou a cargo da Hebert Richers, e contou com um time muito bom de dubladores. Ryan teve o mesmo dublador que o Ranger Vermelho da Força do Tempo enquanto a gatinha Kaitilin tem a voz da Adriana Torres (a gatinha Tori de Power Rangers Tempestade Ninja). Já o J.B Reese teve a voz de Marco “Yussuke” Ribeiro e Jeb teve a voz de Orlando Drummond – o Scobby Doo! 

A existência de V.R Troopers determinou a “nova ordem mundial” para os tokusatsus e deixou muitos fãs brasileiros desolados. É que a Saban não permitiria nunca mais que cópias originais de Metalder, Spielvan e Shaider pudessem ser exibidas no ocidente. Mas brasileiro é aquele povo que tem um jeitinho pra tudo e, mesmo de forma não legal, esses heróis podem ser conferidos hoje em dia em seu estado original. De qualquer forma, os Troopers marcaram a infância de muita gente que só hoje em dia sabe do que se trata a série. É ruim? Muito! Mas não será esquecida por quem viu.



Lembrou da serie? não? então veja se lembra dessa frase:“Forças da Escuridão venham à mim: Levem-me para minha realidade virtual!!! Viva Grimlord!!!”. Lembra?! Então não seja bobo e admita que gostava. Pelo menos dessa parte.





8 comentários:

  1. gostei do blog

  2. Nossa, esse daí eu nunca assisti
    IUHASUSHUASHUISAHUSIA
    Passa? http://jooymartins.blogspot.com/
    Beijoos

  3. VRtroopers parece Power Ranger
    Da uma moralzinha aee
    segui comentei e cliqei no adsense
    fais isso no meu ?
    http://sentimentares.blogspot.com/

  4. Eu não gostava muito dessa série porque eu achava que esses daí eram inimigos dos power rangers. kkkkkk

  5. Caraca mt antigo só lembrei depois qe vi o cachorro O.o
    hsushuashua

  6. Ixi tava procurando a muito tempo qual era o seriado que meu pai colocou meu apelido (Jheb's - diebis) e ai eu pensava que o nome era os chupers kkkk maiis é quase isso. era o Jeeb, ele me chamava de Jheb's e isso pegou, mas ninguem sabe (sabia) que era pelo cachorro que saia os olhos pra fora!!

  7. Muito bom marcou minha infancia, nao assistia desenhos com ponto de vista critica .

  8. olha que eu gostava dessa serie. meu Deus...!

Postar um comentário